[Dicas] 6 Dicas para Escrever uma Crônica

Seis dicas para escrever uma crônicaAntes de darmos as dicas desta semana, vamos esclarecer algumas diferenças básicas entre contos e crônicas.

Quando escrevi as 8 Dicas para Contistas, fiz uma comparação entre contos e crônicas, mostrando as diferenças e peculiaridades de cada um. Porém, nessas dicas, darei ênfase às crônicas para que as dicas fiquem de acordo com o tema escolhido.

O Conto, como já dito, é o ato de narrar uma pequena história com poucos personagens, mantendo sempre a concisão, a precisão e a profundidade. Por outro lado, a Crônica – do grego chronos (tempo) – utiliza-se de acontecimentos diários para compor a narrativa. Marina Cabral, especialista em Língua Portuguesa e Literatura, classifica a crônica da seguinte maneira: lírica, humorística, crônica-ensaio, filosófica e jornalistica.

  • Lírica: o autor relata com nostalgia e sentimentalismo;
  • Humorística: o autor faz graça com o cotidiano;
  • Crônica-ensaio: o cronista, ironicamente, tece uma crítica ao que acontece nas relações sociais e de poder;
  • Filosófica: o autor faz uma reflexão de um fato ou evento;
  • Jornalística: o autor apresenta aspectos particulares de notícias ou fatos; pode ser policial, esportiva, política etc.

Ou seja, a crônica trata de um registro de fatos do cotidiano, onde o autor carregará esses acontecimentos com uma carga pessoal, mostrando sua visão sobre aquele período de tempo.

 

6 Dicas para Escrever uma Crônica

 

1. A Escolha do Fato

Já que estamos trabalhando com a crônica, escolher um fato cotidiano e, de preferência, atual, é de extrema importância. Esse fato pode ser escolhido em jornais, situações que você mesmo tenha vivido ou presenciado, aliás, pode até ter acontecido com você.

O importante aqui, além de ser um fato cotidiano, é ter uma opinião formada sobre aquilo que aconteceu, pois, assim, você poderá partir para qualquer uma das classificações fornecidas.

2. Personagens?

Por se tratar de um fato cotidiano, a crônica não exige a presença de personagens, exatamente por levar ao leitor um ponto de vista do autor, a crônica, muitas vezes, perde essa concepção de pessoa, tempo e espaço, sendo possível a sua leitura muito depois do fato ter acontecido.

Assim, ao escolher a crônica como um meio para expressão sua opinião, busque fugir de personagens, foque nos acontecimentos e generalize as atitudes, caso seja esse o teu objetivo.

3. Evite Fantasiar

A crônica não é um conto. Portanto, nada de imaginar histórias que fogem ao fato escolhido. Mantenha os pés no chão. Fantasiar é permitido, desde que você mantenha o fato em destaque, utilizando a sua experiência para criar essa fantasia. Mas lembre-se: o fato é o centro do texto, não a fantasia.

4. Sua opinião é importante

Na classificação fornecida por Mariana Cabral, vê-se que a crônica é focada na experiência e na posição crítica do autor. Ou seja, é utilizar o fato para expressar sua opinião sobre o assunto. Porém, evite fatos muito polêmicos, pois, ao invés de criar uma crônica, você poderá criar uma crítica e gerar mais discussão do que reflexão.

5. Tamanho da Crônica

Esse é um grande problema. Por utilizar um fato cotidiano, a crônica tende a ser mais rápida e curta, pois acaba utilizando os conhecimentos do leitor para completar o texto. Assim, não exagerem nas descrições, argumentações e floreados. Seja direto, principalmente nos dias de hoje, onde textos muito longos tendem a não atrair muitos leitores. No entanto, tudo dependerá do seu público alvo.

Portanto, saiba para quem você está escrevendo e mantenha sempre a ideia de revisar o texto e retirar passagens que não agreguem qualidade ao texto.

6. Terminei, e agora?

Agora que você já escolheu o fato, deu a sua opinião e manteve a crônica num tamanho razoável, chegou a hora mais importante: Ler, reler e ler de novo.

Muitas vezes, ao escrevermos um texto, achamos que ele é uma obra de arte e queremos, o mais rápido possível, passá-lo para os outros. Porém, no calor do momento, podemos deixar alguma frase solta, erros de português e ideias desnecessárias. Logo, aqui que entrará a revisão do texto, uma das partes mais importantes.

Deixe de lado o orgulho e faça as revisões necessárias, pois, por mais que você seja um excelente escritor, você ainda pertence à raça humana e, como todos nós sabemos, errar faz parte. Assim, revise e lembre-se que você pode sair perdendo sem essa última e preciosa dica. ;)

_________

Bom, pessoal, essa são as dicas que eu tinha pra hoje. Espero que elas possam ajudá-lo de alguma forma. Lembrando que, se você possuir alguma outra matéria ou links que ajudarão os novos escritores a alcançarem seus objetivos, os comentários estão aqui pra isso, também.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

  1. Quase que eu passo na OLP (Olimpíadas de Língua Portuguesa) por conta dessas dicas muito Obrigado Valeu Mesmo.

    • Que maravilha, Alan!
      Uma pena que não conseguiu, mas estamos muito contentes com o teu interesse e, claro, com a ajuda que demos. Parabéns! E quem sabe numa próxima você ganhe a OLP.

      Abraços