[Dicas] 7 Dicas para Escrever um Romance

Sete dicas para escrever um romanceEscrever uma história de amor é fácil, qualquer pessoa pode escrever – até para ganhar uma viagem à Paris. O difícil é escrever uma boa história de amor. Aí que as coisas começam a piorar. Mas não se preocupem. Depois das dicas você verá que não é tão complicado assim.

Porém, antes de tudo, vamos estabelecer três parâmetros:

 

  • Novela da Globo não é uma boa história de amor;
  • Você tem que ler bons livros;
  • Você tem que ter sofrido por amor.

Agora que você já está ciente desses três parâmetros, podemos dar continuidade às dicas do Folhetim, torcendo para que você consiga escrever o seu romance o mais rápido possível.

 

7 Dicas para Escrever um Romance

 

1. Utilize histórias reais

Hoje, nenhuma história de romance surge do nada. Toda e qualquer história já foi vivida, sentida ou imaginada por nós, portanto, não tente fugir das histórias reais. Pois, o enredo para o seu romance pode partir de uma história pessoal ou de alguma história vivida por algum de seus amigos (as).

Bons romances são aqueles onde a história tem um pé na realidade, ou seja, repleta de sentimentos desejados por muitos e vividos por poucos. Assim, se você já ouviu ou viveu alguma história romântica – daquelas onde tem ou teriam tudo para dar certo – utilizi-a para criar a sua história de amor.

2. Conecte-se ao público

Hoje, em sua grande maioria, as histórias de amor que fazem grande sucesso são aquelas que mantêm uma relação direta com o público. Portanto, a utilização de uma história real como pano de fundo pode ser a chave para o sucesso.

Outra forma de se conectar é conhecer as histórias românticas disponíveis no mercado, ou seja, leia bons livros de romance. Veja quais historias estão fazem sucesso no mercado editorial e analise o porquê do sucesso. Isto é, o que o público mais gostou na história. Foram os personagens? Foi a história? Foram as cenas apresentadas?

3. Escolha um subgênero

Após utilizar as primeiras dicas, você deve, agora, escolher o subgênero do seu romance. Ou seja, será um romance gótico, policial, psicológico, histórico… – veja outros subgêneros aqui.

A escolha do subgênero é importante para uma futura publicação. Além do mais, o subgênero lhe dará subterfúgios para a elaboração do romance, dando diretrizes para que você não fuja ao tema principal, mantendo, assim, uma boa conexão com o público alvo do romance.

4. Personagens críveis

Em qualquer boa história, não só nos romances, os personagens é que farão o leitor se identificar com a história, pois será através deles que percorreremos todas as linhas até o final da jornada. Assim, saber escolher os personagens e cativar o público é de extrema importância.

Exatamente por esse motivo que escolher o subgênero vem em primeiro lugar. Um personagem cativante deve possuir características que digam ao leitor qual o tipo de romance para que ele possa se identificar e permitir gostar da história.

Lembre-se que o público feminino é o maior consumidor de romances. Portanto, ao escolher os personagens, veja como esse público se comporta com cada tipo de romance. Por exemplo, adolescentes tendem a se identificar mais com rostos bonitos e corpos malhados; mulheres, por outro lado, gostam mais de homens bem resolvidos e protetores. Ou seja, cada público tem um perfil ideal, logo, a conexão com ele deve ser feita antes da criação dos personagens.

No entanto, mesmo sabendo o perfil do seu público, a criação não precisa seguir regras rígidas, pois, no final, o que normalmente será relevante é se há uma química entre o casal. Aquela química que levará o leitor a acreditar no romance, mesmo que seus personagens sejam dois robôs.

5. Escolha o ambiente

Conhecendo o subgênero e o público, o próximo passo é a escolha do ambiente onde o romance acontecerá. Cidades românticas e lugares inusitados podem ser bons ambientes.

Um ambiente favorável com personagens que se enquadram naquele ambiente são boas formas de se ter um romance de sucesso. Podemos escolher uma viagem a Paris como o ambiente para o romance. Paris pode não ser o lugar onde a história é desenvolvida, mas o final, onde eles se encontrarão. Por exemplo, tudo pode começar no aeroporto, passando pelo vôo de 12 horas até chegar a Paris. Ou pode começar numa escola que fará uma viagem à Paris para um congresso. Enfim, a escolha da situação eu deixo a cargo de vocês.

A ideia é que o ambiente e a situação dos personagens fiquem intimamente ligadas ao público escolhido.

6. Tensão romântica

Todo bom romance deve possuir uma tensão romântica, pois será ela que sustentará o livro, mantendo os leitores ávidos para saber o que irá acontecer nas próximas páginas.

Como estamos escrevendo um romance, nossos personagens, no início da história, podem estar separados. Esta separação pode ter sido causada por eles, por um só ou por ambos, devido a motivos diversos: família, doença, classe social ou mal entendidos.

Enfim, a tensão romântica será estabelecida através dessa separação, portanto, preste muita atenção às histórias que você já ouviu e leu durante toda a sua vida, para que possa criar uma tensão interessante e de tirar o fôlego do leitor.

7. Um final feliz

Não se esqueça, é um romance. Portanto, criar um final feliz é de suma importância. Imagine-se como o seu leitor. Você gostaria de ver o casal superar tantos problemas para que no final não fiquem juntos? Não.

Estamos escrevendo um romance. Uma história onde o amor sempre dá certo! Portanto, saiba que no final o casal terá que vencer todos os obstáculos para ficarem juntos e apaixonados.

_________

Bom, pessoal, essa são as dicas que eu tinha pra hoje. Espero que elas possam ajudá-lo de alguma forma. E lembre-se: são dicas, não normas. Qualquer dúvida, comentários ou críticas, deixe um comentário que terei o prazer em respondê-lo.

Se tudo der certo, semana que vem, neste mesmo horário, teremos novas dicas no Folhetim Online. E, se você perdeu as anteriores, não fique preocupado, aqui estão elas:

  1. Escreva Melhor: 7 dicas para escritores
  2. Escreva um Conto: 8 dicas para contistas
  3. Melhores Diálogos: entenda os 3 tipos de discursos
  4. Melhores Diálogos: 7 dicas para escritores
  5. Leia Melhor: 6 dicas para a boa leitura
  6. 8 Dicas para celebrar o Dia Internacional do Livro
  7. + Dicas

Comments

  1. muito show………….

  2. Olá!
    Vou escrever uma história de amor baseada em fatos reais.
    E uma de suas dicas é dar a história um final feliz.
    Só que essa hitória é linda, porém com um final triste.
    Como faço?
    Desde já obrigada.
    Abraço!

    • Olá, Leandra.

      Então, o clichê é o final feliz, mas nem sempre o “viveram felizes para sempre” demonstra um final feliz.
      A moral da história pode trazer um sentimento de felicidade para o leitor, por exemplo. Assim como a própria história poderá trazer aquele sentimento de felicidade.
      Veja, um final feliz não precisa ser universal, repleto de Ahhhhhh…. Ohhhhhh… Hummmm… Snif, snif, snif… Quantas vezes você já não ficou feliz por uma amiga ter terminado um relacionamento ruim? Ou quantas vezes tuas amigas ficaram felizes por você ter terminado um namoro que, posteriormente, você viu que não estava te fazendo bem?
      Um final feliz pode, muitas vezes, estar implícito. Pense nisso! :)

      Fico muito feliz por ter levantado essa questão, Leandra.
      Beijos e volte para nos contar o que foi decidido! :)

  3. Duda Rodrigues says:

    A número 5: Escolha o Ambiente, pode ser um ambiente digamos "inexistente"?
    e a propósito, adorei o primeiro parâmetro (Novela da Globo não é uma boa história de amor) rsrsrrs

    • Olá, Duda!
      Sim, o ambiente serve para você posicionar o leitor, dar a ele a possibilidade de se imaginar dentro da cena; da história. Portanto, tudo dependerá de como você irá colocar o leitor na tua narrativa.

      Boa sorte e sucesso!
      PS: As histórias de amor das novelas caberiam em um único episódio, mas o povo sempre quer colocar algo social, humano e de acordo com a atualidade, daí fica aquela desgraça de vários meses sem a mínima importância.

  4. MARIO SANTINNIS says:

    ola, sempre presto a tenção em romances,pretendo escrever um,mas tenho medo .gostaria muito de algumas dicas,as ideis pipocam a minha cabeças, mas na hora h pacrecem furgir sera medo meu..

    • Mário, o que falta é um bom “caderno” de anotações.
      Assim que você tiver alguma ideia, não perca muito tempo, anote-a.
      Depois de muito tempo que fui adquirir o hábito de anotar todas as ideias que me vêm à cabeça. Portanto, está aí mais uma dica: anote todas as ideias que surgirem!

      Abraços e espero continuar ajudando.

  5. Angelica says:

    Olá, estou escrevendo um livro de romance, no entanto o mesmo não termina com final feliz, pois todos morrem. O problema é que estou em dúvida se ele séria um romance mesmo, ou um conto fantástico, já que o “objeto mágico” é o que os fazem morrer. Você pode me ajudar?

    • Olá, Angelica.
      O final do livro não indicaria o seu gênero literário. Um romance, por exemplo, não precisa necessariamente de final feliz.
      Primeiramente, algumas dúvidas devem ser sanadas, tais como: o que é o gênero Romance e o que é o Conto Fantástico. Para isso, prefiro deixar esses dois textos que poderão te elucidar melhor do que as minhas meras palavras: Conto Fantástico | Romance e outros Gêneros

      Porém, logo de cara, pelo que você nos contou, acredito que seja mais uma Ficção, não?
      Espero que esses dois textos te ajudem.
      Abraços e, se outras dúvidas surgirem, por favor, contate-nos.

Speak Your Mind

*