[Resenha] Jerusalém – Gonçalo M. Tavares

Resenha Jerusalém, de Gonçalo M. TavaresJerusalém faz parte da tetralogia O Reino, que inclui também Um homem: Klaus Klump, A máquina de Joseph Walser e o romance ganhador do Prémio do Melhor Livro Estrangeiro 2010 em França: Aprender a Rezar na Era da Técnica.

O livro traz um universo de contos emaranhados por histórias pessoais, tendo como pano de fundo os horrores que o holocausto trouxe à sociedade, instrumento com o qual, Theodor Busbeck , renomado médico, busca, através de acontecimentos parecidos, traçar um gráfico para determinar qual grupo irá sofrer e qual será o carrasco desse sofrimento; uma ferramenta racional para determinar os sintomas da sociedade – uma observação do horror x o tempo.

A história se passa em uma pequena cidade, onde os personagens se interagem, em sua grande maioria, ao acaso, donde Theodor Busbeck, ex marido de Mylia Busbeck, é um renomado médico no declínio de sua carreira. Já, Mylia, sua ex-mulher, apresenta traços de insanidade, afirmando ser doente desde seu primeiro encontro com Theodor Busbeck e, devido a essa sua loucura, é internada no hospício Georg Rosenberg, sob a custódia do director Gomperz Rulrich, um senhor de inteligência mediana, que se esconde atrás de um emprego que acredita trazer-lhe posição social, mas inveja o trabalho de Theodor Busbeck.

Kaas Busbeck, filho registrado em nome de Theodor, possui problemas físicos que o impedem de ser uma criança “normal” que, por se sentir menosprezado perante os outros miúdos devido a suas desvantagens físicas, estando sempre a ser observado por seu pai, força a normalidade dele através de condutas brosseiras e violentas.

“Horas mais tarde, Theodor, depois de uma curta conversa com o avô, chamo-o.
Kaas, assustado com a cara do pai, tentou dizer uma palavra, que não se percebeu. Theodor pediu para o filho se aproximar, e quando este deu um passo, esbofeteou-o, de uma vez, com força.
E depois disse:
- O menino tem de aprender a falar correctamente.”

Já Hinnerk Obst, ex-combatente de guerra, sofre de fobias sociais derivadas do ambiente onde passou boa parte de sua vida adulta, carregando sempre consigo uma arma que acreditava ser a garantia de paz. Chegava a ameaçar as crianças na rua, mirando em suas cabeças, através da janela de seu apartamento, para testar a pontaria.

E são com esses quatro personagens – principais – que o romance se desenvolve, mesclando suas vidas em acontecimentos terríveis e, muitas vezes, verdadeiros. Demonstrando os problemas sociais e psicológicos, aprofundando no amor que cada um nutri por suas loucuras. Porém, não é só sobre esses questionamentos filosóficos que se faz o livro, Gonçalo M. Tavares – e aqui deixo expresso – faz com maestria o avanço e recuo na história, misturando acontecimentos passados, futuros e presentes de forma a suscitar o desejo do leitor, que por muitas vezes é surpreendido por imaginar algo que na verdade se mostra totalmente diferente.

Assim, através de microcontos, Gonçalo M. Tavares traz para nós um universo autónomo, louco, cruel e realista, que a muitos poderá chocar. Mas, que na verdade se trata apenas de uma visão realista e filosófica sobre a sociedade moderna, onde loucura e sanidade se misturam a fim de compor este esplêndido romance.

Ganhador dos prémios José Saramago 2005 e o prêmio Ler/Millenium 2004 – que o fez se destacar na literatura portuguesa como um de seus grandes nomes, Gonçalo M. Tavares soma ao currículo a grande homenagem que recebeu de José Saramago, que disse:

“Gonçalo M. Tavares não tem o direito de escrever tão bem apenas aos 35 anos: dá vontade de lhe bater!”

O Autor

Gonçalo M. Tavares

Gonçalo M. Tavares

Gonçalo M. Tavares, escritor português, nasceu em 1970.

Os seus livros deram origem, em diferentes países, a peças de teatro, peças radiofónicas, curtas metragens e objectos de artes plásticas, vídeos de arte, ópera, performances, projectos de arquitectura, teses académicas, etc.

Em Portugal recebeu vários prémios entre os quais o Prémio José Saramago 2005 e o Prémio LER/Millennium BCP 2004, com o romance – Jerusalém (Caminho); o Grande Prémio de Conto da Associação Portuguesa de Escritores “Camilo Castelo Branco” com água, cão, cavalo, cabeça 2007(Caminho).

O Livro

Capa do Livro Jersusalém, de Gonçalo M. Tavares

Jerusalém, de Gonçalo M. Tavares

Título: Jerusalém
Autor: Gonçalo M. Tavares
Ano: 2006
Páginas: 228
Editora: Companhia das Letras
ISBN: 9788535908794
Comprar



 

Comments

  1. Até pra fazer resenha consegue fazer com perfeição!

    Muito bom! Parabéns!

    Beijokas!

    • Fábio C. Martins says:

      Manu, não é pra tanto… é a “primeira” vez que faço uma resenha desse tipo. Agora só espero melhorar nas próximas.

      Beijão e obrigado pelo carinho!

  2. Aonde posso achar esse livro achei bem interessante, aguardarei a resposta em meu e-mail obrigado

    • Fábio C. Martins says:

      Bella, no próprio post tem as informações do livro e o link de compra!
      Obrigado pelo comentário e espero que goste da leitura!

  3. Adoro ler, e esse me chamou a atenção. Não sei se foi pelo seu resumo, ou porque trata de uma história com acontecimentos pessoais e que retrata sobre os sofrimentos de uma sociedade!
    Irei procura-lo!

    Beijos

  4. Foi a primeira vez de uma resenha mas para mim ficou perfeita!

    Continue assim!

    Beijokas!

  5. Francisco Ségio Camargo Molist Arnaus says:

    Boa resenha, dá vontade de ler o livro

    Abração Doutor

    • Fábio C. Martins says:

      Chicão, acredito que tu vai gostar do livro!
      Leia!!!

      Abraços e obrigado pelo comentário!

  6. Quando sobrar mais tempo (e disposição) irei me dedicar mais aos livros. Parabéns pela dica e pela bela divulgação.

    • Fábio C. Martins says:

      Guilherme, não deixe de conhecer esse autor. Eu sou fã de Saramago, gosto do jeito que ele vê o mundo, mas Gonçalo M. Tavares não fica atrás!
      Adotei ambos como meus escritores portugueses favoritos! Já estou separando um dinheiro pra poder comprar os outros livros que fazem parte dessa tetralogia!

      Abraços e não deixe de se dedicar à leitura!

  7. I loved this book.

  8. Tavares Goncalves won my sympathy.

Trackbacks

  1. [...] Homem: Klaus Klump faz parte da tetralogia O Reino, que inclui também A Máquina de Joseph Walser; Jerusalém,  e o romance  Aprender a Rezar na Era da [...]

Speak Your Mind

*