Capítulo 22

Johnatan estava ao lado de Christine quando saíram do necrotério, ela muito abalada, tanto com o encontro com Michael quanto a dura tarefa de preparar tudo para o enterro de sua mãe.

Ela sabia que poderia contar com seu amigo, ainda mais nesse momento tão difícil. Mas, ainda assim, temia por outro re-encontro com Michael, sendo que nem esse último conseguira compreender.

Christine preferiu ir para o seu apartamente para poder descansar e ficar sozinha, sendo que desde que soube da morte de sua mãe, havia tido um único momento para poder pensar, chorar e, até, se irritar com o acontecido.

– Você tem certeza que ficará bem sozinha?

– Sim. Não se preocupe.

– Tudo bem. Qualquer coisa, me ligue.

– Ok.

Johnatan seguiu o caminha de casa enquanto Christine procurava a chave dentro de sua bolsa. Um longos passos à frente, Johnatan já não avistava mais a amiga, decidindo ir até sua casa para descansar da longa noite que haviam passado, pois a manhã seguinte seria longa e triste.

Nem os primeiros raios disparavam no horizonte e Christine nem havia pregado os olhos, permaneceu acordada a madrugada inteira à procura de alguma lembrança de sua infância com a sua mãe. Alguma lembrança que valesse à pena ser comentada na hora da despedida. Mas a única coisa que passava-lhe pela cabeça era a idéia de um assassinato. Tentou por horas entender o motivo que faria alguém matar sua mãe. Mas nada lhe ocorreu.

Já era manhã e ainda nem havia se arrumado, precisava correr para conseguir estar pronta no horário.

Christine olhou todo o seu guarda-roupas, mas roupas pretas não eram as suas favoritas, mas com as poucas que tinha, conseguiu escolher alguma que não estivesse tão surrada. E com sua saia preta, meia calça preta, sapato baixo, uma blusa cinza e sua melhor jaqueta, estava pronta para enfrentar os olhares, questionamentos, condolências que receberia durante toda a manhã.

O interfone toca e Johnatan já estava à espera de Christine, que logo pegou sua bolsa e seguiu o caminho para as escadas.

– Olá.

Bom dia seria muito otimista nessas horas, pensou Johnatan.

– Bom dia.

Johnatan preferiu não responder ao bom dia, ainda acreditava que era uma resposta otimista e sem fundamento para um momento desses. Sua educação conservadora o avisara que o melhor seria lhe prestar os pêsames, mas já estava tarde para isso.

E como Christine havia imaginado, durante toda a cerimônia, pessoas lhe cumprimentavam, prestavam seus pêsames e algumas ainda questionavam o motivo do assassinato, que sem resposta logo se afastavam.

Em meio a um cumprimento e outro, Christine procurava por pessoas conhecidas, amigos de infância, parentes, qualquer um que lhe fizesse sentir-se mais confortável, mas nem sombra disso, muito pelo contrário, somente desconhecidos e supostos amigos de sua mãe estavam com ela. No entanto, ao longe conseguiu avistar um homem de cabelos grisalhos que acabara de sair de seu caro acompanhado de um segurança. Christine tentou, em vão, observar seu rosto à procura de alguns traços familiares, mas a distância prejudicou sua visão, deixando-na com seus desconhecidos que ainda teimavam em lhe abraçar.

A idéia de que reencontraria Michael durante toda a cerimônia escapou de suas lembranças, mas nem uma simples sombra de seus cabelos ela conseguiu encontrar.

A cerimônia já estava em seu final. Algumas pessoas já se distanciavam enquanto flores ainda cobriam o caixão de Michelle. Christine observava as flores enquanto era levada a tempos passados. Sim, a lembrança que ela tanto havia procurado na noite passada estava alí, diante de seus olhos.

– Mamãe, mamãe! Olha, uma abelha.

– Sim, minha filha, elas estão se alimentando.

– Elas comem flores, mamãe?

– Não, elas sugam o néctar das flores para produzirem o mel que nós usamos de manhã.

– Olha, mamãe! Outra abelha.

Sua mãe sorria diante de seu espanto com as abelhas.

Naquela manhã de domingo, Michelle e a pequena Christine haviam saído para comprar flores para seu jardim. Christine guardava essa lembrança com muito carinho, pois foi um dos únicos dias em que mãe e filha arrumaram o jardim, que Michelle tanto amou durante todos esses anos.

Christine foi arrancada dessa lembrança por uma simples palavra de Johnatan.

Pai?!


Fatal error: Uncaught Exception: 12: REST API is deprecated for versions v2.1 and higher (12) thrown in /home/folhe034/public_html/wp-content/plugins/seo-facebook-comments/facebook/base_facebook.php on line 1273